Bate Papo com o Crefito5 debate assuntos relacionados à saúde

Bate Papo 1

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região – Gestão Aproximar, promoveu na noite de ontem (12) mais uma edição do Bate Papo com o Crefito5, no Bar Cotiporã, localizado no bairro Cidade baixa, em Porto Alegre.

O tema escolhido para essa edição do evento foi “O que você faz pela sua saúde” e os convidados para debater sobre o assunto foram o fisioterapeuta Fabrício Duarte, a terapeuta ocupacional Anelise Splett e a nutricionista Carla Redin.

Ao iniciar o bate papo, o fisioterapeuta Fabrício levantou uma questão muito comentada: “saúde é ou não é a ausência de doenças?”. Defendeu que saúde era um estilo de vida a ser seguido e falou sobre a importância da saúde emocional para o equilíbrio de cada um. “Muitas vezes deixamos de viver o presente por estarmos preocupados com o passado ou o futuro e isso causa angústia e stress”, afirmou.

O fisioterapeuta Thiago Amaro compartilhou que, por ser um profissional que acolhe as pessoas e cuida das dores de seus pacientes, busca sempre cuidar da sua saúde. “Acredito que pessoas que cuidam de pessoas também precisam cuidar da sua saúde emocional. Esse é um dos propósitos da nossa profissão e precisamos estar bem com nós mesmos para acolher o próximo”, finalizou.

Segundo a terapeuta ocupacional Anelise, uma das formas de aliviar esse sentimento é buscar no dia a dia coisas que façam sentido para a sua vida, desde as pequenas atividades até o que é mais importante. “Muitos jovens estão escolhendo as profissões que seguirão em função do quanto vão ganhar no futuro e acabam se esquecendo de que é preciso ter satisfação no que se faz acima de tudo”, completou.

Em função disso, muitos profissionais acabam adoecendo psicologicamente. “A competitividade do mercado acaba gerando uma angústia muito grande, uma busca incessante por melhores salários, melhores cargos e tudo isso, somado, pode provocar o adoecimento do profissional”, afirmou a vice presidente do Crefito5, Lenise Hetzel.

A busca pela saúde além de passar pelo equilíbrio emocional, passa também pela alimentação. Para a nutricionista Carla Redin, é preciso esclarecer antes de mais nada o que é saudável e qual a relação que cada pessoa estabelece com os alimentos. “A alimentação é uma fonte de prazer do ser humano. É preciso saber o que é bom ou ruim para você. Se você está entre amigos e quer comer ou beber algo que foge da sua rotina e isso vai deixar você feliz, não há mal algum”, analisou.

Uma das questões mais difíceis quando se fala em saúde e qualidade de vida é a organização do tempo, seja para realizar atividades físicas ou ir à feira fazer compras. “Tudo fica mais fácil quando você encontra aquilo que faz sentido pra você. Algo que te motive, que seja feito com prazer”, afirmou Anelise. A terapeuta ocupacional deu algumas dicas de estratégias para serem adotadas quando o sentimento de desmotivação bate e encerrou afirmando que quanto mais coisas você faz, melhor a sua organização e mais tempo disponível você vai ter.