Crefito5 alerta prefeituras de Santana do Livramento e Santo Ângelo sobre qualidade da assistência na saúde

produtos

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região, Gestão Aproximar, fez um mapeamento através do Departamento de Fiscalização e verificou que, em diversos municípios do Rio Grande do Sul, existe uma carência de profissionais terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas atuando no setor público.

O primeiro município a ser notificado foi Pelotas, seguido de Bagé e Rio Grande, onde foi verificada a ausência de profissionais terapeutas ocupacionais nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

Recentemente, o presidente do Crefito5, Fernando Prati, encaminhou um ofício para os prefeitos Glauber Lima, de Santana do Livramento, e Luiz Valdir, de Santo Ângelo, informando que, nos dois municípios, foi encontrado o mesmo déficit de profissionais, principalmente terapeutas ocupacionais.

O objetivo da comunicação é alertar os gestores sobre a necessidade destes profissionais a fim de qualificar a assistência prestada à população frente às Instituições que prestam assistência à saúde. No documento, o presidente ressalta que o Conselho busca estabelecer uma parceria com a prefeitura para encontrar soluções para essa falta de profissionais.

O Crefito5 está realizando levantamento semelhante em outras cidades do Estado e entrará em contato com os gestores públicos a fim de buscar uma solução conjunta para a situação.