Crefito5 contesta resultado de estudo britânico divulgado pela Zero Hora

tratamentos-naturais-para-mal-de-parkinson

A Comissão de Especialidades do Crefito5 elaborou um documento contestando os dados de um estudo britânico que sugere que o tratamento com fisioterapia e terapia ocupacional não é eficiente para tratar pacientes com mal de Parkinson, publicado no site da Zero Hora no dia 19 de janeiro.

O Crefito5 entrou em contato com o jornal Zero Hora e enviou o documento elaborado, que foi publicado em sua íntegra no site do jornal.

Os especialistas do Conselho ressaltam que “não se pode desqualificar a assistência fisioterapêutica e suas diversas possibilidades simplesmente porque um único modelo de tratamento não foi efetivo, dentre os vários possíveis”. Além disso, a Comissão de Especialidades cita uma série de outros estudos científicos que evidenciam a contribuição do trabalho fisioterapêutico no tratamento da doença.

Conforme o presidente do Crefito5, Fernando Prati, o Parkinson é uma doença químico-metabólica que afeta o núcleo da base do cérebro, interferindo na coordenação motora e musculatura. “A fisioterapia, além de contribuir para melhorar o equilíbrio desses pacientes e sua coordenação motora, ainda auxilia na qualidade de vida e na diminuição da velocidade do avanço da doença”, explicou.

Entenda o caso:

Clique aqui para ler a matéria publicada no dia 19 de janeiro.

Clique aqui para ler a carta enviada ao jornal Zero Hora.

Clique aqui para ler a publicação da carta no site do jornal.