Crefito5 denuncia ao Ministério Publico irregularidades na assistência de saúde do IPF

DENUNCIA

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região recebeu denúncias relatando as precariedades e a falta de recursos físicos, materiais e humanos no dia a dia do Instituto Psiquiátrico Forense (IPF) Maurício Cardoso.

Após visita ao local, a fiscalização do Crefito5 constatou que são atendidos pacientes que cumprem medida de segurança e apresentam problemas psiquiátricos, alocados em seis unidades terapêuticas, divididas em unidades abertas – que atendem pacientes com diversos graus de comprometimento mental – e fechadas – que atendem pacientes psicóticos e dependentes químicos. Cada terapeuta ocupacional era responsável por uma ou mais unidades, atendendo de 30 a 40 pacientes. Foram constatadas ainda a falta de estrutura física, condições precárias de higiene e insuficiência de agentes penitenciários.

Diante da negligência e da presença de risco à saúde e integridade física dos internos, o Crefito5 encaminhou esta semana para a Promotoria de Justiça de Controle e Execução Criminal e para a Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos uma denúncia formal, onde manifesta sua preocupação com a falta de assistência aos internos, situação que coloca em risco não apenas os pacientes como os funcionários que ainda restam no Instituto.

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região deixa registrada sua indignação com relação à situação deste que é um dos mais tradicionais e reconhecidos Hospitais de Custódia e Tratamento do Brasil e um dos poucos que ainda presta atendimento à população.