Crefito5 reúne coordenadores para discutir estágios e diretrizes curriculares nacionais

07

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região reuniu-se com os coordenadores dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Rio Grande do Sul no dia 10 de novembro.

A pauta do encontro foram questões relacionadas aos estágios não obrigatórios e às diretrizes curriculares nacionais que estão sendo discutidas.

O presidente do Crefito5 deu as boas vindas aos coordenadores, manifestou sua felicidade por ver 36 instituições de ensino reunidas e ressaltou a importância da parceria entre o Conselho e as IES. “O papel institucional do Crefito5 é fiscalizar o exercício profissional, além disso, somos um órgão de apoio às instituições. Por isso nossa preocupação com os estágios realizados fora das universidades”, afirmou.

Para dar início à reunião, a coordenadora do Departamento de Fiscalização, Simone Campani, falou sobre os estágios não obrigatórios. “É importantíssimo que se tenha cuidado com o exercício ilegal da profissão. Alunos que estão fazendo estágios sem cumprir adequadamente o que está na legislação são considerados leigos”, afirmou.

Para discutir as Diretrizes Curriculares Nacionais, o grupo foi separado para que cada profissão possa discutir aspectos particulares.

Na Fisioterapia, a coordenadora da Abenfisio RS, Lydia Christmann Espindola Koetz, falou sobre a importância do debate em conjunto sobre as DCN. “Esse é o momento para tirar dúvidas e pensar como as diretrizes serão operacionalizadas nas instituições”, encerrou.

Logo em seguida, os participantes assistiram à palestra da fisioterapeuta Hedioneia Pivetta, integrante da comissão que está discutindo o assunto no COFFITO. Hedioneia fez um resgate de como se deu todo o processo de criação da nova minuta que será apresentada em breve ao Conselho Nacional de Educação. Além disso, apresentou os principais tópicos que ainda geram discussão e não tem um consenso entre os profissionais, os estágios e a questão do ensino à distância.

Para encerrar, os profissionais fizeram as colocações que julgaram necessárias sobre a minuta e foi elaborado um documento com as impressões dos profissionais gaúchos que será encaminhado para a comissão do Coffito a fim de ser avaliada antes da entrega do documento final ao Conselho Nacional de Educação.

Na Terapia Ocupacional, a coordenadora do curso na UFPel, Cynthia Girundi da Silva, fez um relato sobre as discussões que foram feitas no I Seminário  de Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais organizado pela RENETO – Rede Nacional de Ensino e Pesquisa em Terapia Ocupacional, com relação às Diretrizes  Curriculares estabelecidas há 15 anos.

Durante o encontro as terapeutas ocupacionais analisaram os cenários de formação frente às necessidades e demandas de atualização nos diferentes segmentos da população brasileira. Foi discutida ainda a importância de garantir uma formação de qualidade e demarcar a necessidade da presença do profissional terapeuta ocupacional  nas políticas públicas de saúde, assistência social, justiça, educação e cultura.