Fisioterapeuta defende equipe multiprofissional no Sistema Único de Saúde

equipe fisioterapia mesquita rj crefito2

Em entrevista ao Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 2ª Região (Crefito-2), o fisioterapeuta Rafael Jardim de Azeredo Souza fala sobre sua atuação na secretaria municipal de Saúde de Mesquita, município da Baixada Fluminense, e destaca a importância de profissionais da área de Fisioterapia nas equipes de saúde dos órgãos públicos.

Fisioterapeuta pós-graduado em Cinética Funcional, Dr. Rafael Jardim é chefe da área técnica de Fisioterapia de Mesquita e professor universitário.

Como é sua atuação e qual a importância de se ter um profissional de fisioterapia atuando na Gestão Pública?

Como chefe da área técnica de Fisioterapia, tenho sob minha responsabilidade a gestão de dois ambulatórios, emergência e enfermarias, e conto com equipe de fisioterapeutas, uma fonoaudióloga, assistentes sociais e um massoterapeuta. A gestão pública remete ao preconizado pelo Sistema Único de Saúde com uma equipe multiprofissional – ponto fundamental de uma boa assistência de saúde com responsabilidade social.

Fale um pouco da sua trajetória profissional até assumir o atual cargo na prefeitura de Mesquita.

Em 1998, ingressei em Fisioterapia, na Universidade Iguaçu. Como aluno, participei de programas de monitoria, iniciação científica e atividades de extensão, que me aproximaram da realidade social e principalmente do contexto da saúde. Em 2001, concluí o curso de graduação em Fisioterapia pela UNIG, dando sequência aos meus estudos no curso de especialização em Fisioterapia Cinética Funcional, na mesma instituição. Ao concluir a Pós-graduação, fui convidado a fazer parte do corpo docente da universidade, atuando como Supervisor de Estágio da Clínica de Ensino de Fisioterapia da UNIG, durante cinco anos. Posteriormete, segui com a atuação acadêmica e fui convidado a escrever dois capítulos de livro: “Cinesiologia & Avaliação Fisioterapêutica” e “Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia”, ambos para a obra “Quimo de Fisioterapia”. Atualmente exerço a função de coordenador de saúde, mais especificamente da Fisioterapia no Município de Mesquita.

Quais as peculiaridades de seu trabalho num órgão público, sendo um profissional de Fisioterapia?

O fisioterapeuta é um membro nato da equipe de Saúde. A atuação nos níveis promocional, preventivo, assistencial e de reabilitação o habilita para um amplo exercício, o mais próximo possível da população. Por essa característica e pela demanda ainda reprimida por esse profissional no Sistema Único de Saúde, é que o fisioterapeuta é o especialista diretamente ligado às necessidades da sade coletiva, quando identificamos a biologia do envelhecimento que remete a 2025 – mais de 32 milhões de idosos com seus problemas degenerativos, cardiorrespiratórios, nas sequelas dos acidentes de trânsito que são crescentes e na saúde ocupacional. O Sistema Único de Saúde deve priorizar pela lotação este profissional em larga escala, com reflexo direto na saúde das pessoas e da população.

Dr. Rafael Jardim de Azeredo Souza (ao centro) com a equipe de Fisioterapia do município do Mesquita/RJ.

 

Fonte: Crefito2
Edição: Assessoria de Comunicação