Hipnose e fisioterapia aliadas no tratamento da dor

IMG_5135

A hipnose tem sido cada vez mais utilizada no Brasil para diversas finalidades. Pode ser utilizada tanto para autoconhecimento como para incremento de performances cognitivas, artísticas e desportivas. Porém, seu uso mais conhecido é no tratamento de transtornos emocionais, psicossomáticos e distúrbios da dor crônica.

Pode–se dizer que hipnose é um conjunto de técnicas psicológicas e fisiológicas que modificam gradualmente a atenção. E durante esse processo, é possível tratar pessoas com quadros de depressão, traumas, fobias, ansiedade, dependência química, desequilíbrio emocional, falta de atenção, insônia entre outros. Aliada à fisioterapia, a hipnose mostra-se uma forma eficaz de tratar a dor.

De acordo com a Resolução COFFITO nº. 380 / 2010,  que regulamenta o uso pelo Fisioterapeuta das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde, esses profissionais podem utilizar a hipnose em suas funções, ou seja, a técnica é reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional (COFITTO).

Dentre os benefícios da hipnose na fisioterapia, é possível verificar contribuições em diversas áreas, pois otimiza resultados no processo de reabilitação, aumenta a concentração ou foco do paciente que realiza determinados movimentos, ajuda no controle da dor aguda ou crônica e, além disso, melhora a comunicação entre o terapeuta e o paciente, reduzindo a ansiedade e minimizando o componente emocional, favorecendo o relaxamento muscular.

Nos casos específicos de pacientes que relatem dores agudas e/ou crônicas, a hipnose pode ajudar no controle da dor para evolução no tratamento fisioterapêutico.

Thiago Puerari é fisioterapeuta e utiliza a hipnose com seus pacientes como ferramenta para auxiliar no alívio da dor. Para atingir esse objetivo, não é preciso um transe profundo, o estado esperado pelo fisioterapeuta deve ser buscado desde o primeiro contato com o paciente. “A hipnose utiliza os mecanismos fisiológicos que já existem no nosso corpo para combater a dor, mas não nos damos conta deles no dia a dia. Com a hipnose, esses mecanismos são potencializados e fortalecidos”, explica Thiago.

Um alerta para os pacientes que procuram profissionais que trabalham com a hipnose é verificar se existe formação na área. Um dos maiores cuidados que o terapeuta deve ter ao utilizar a prática da hipnose é na reorientação ao estado normal de consciência do paciente. Por esse motivo, em alguns casos a hipnose não é recomendada, como por exemplo, para gestantes, psicóticos, esquizofrênicos, cardiopatas, epiléticos, entre outros.

Ainda são poucos os fisioterapeutas que utilizam a hipnose, mas segundo Thiago, o futuro para essa prática é promissor. “Existem cursos e novas técnicas sendo apresentadas na área da fisioterapia agregando mente e corpo que utilizam os mesmos conceitos e princípios da hipnose Ericksoniana”, afirmou.

Hipnose Ericksoniana

A Hipnose Ericksoniana é um procedimento individualizado, de acordo com as características de cada cliente, as sugestões são individualizadas e adaptadas para cada um. É realizada de dentro para fora, isso quer dizer que o sujeito é que terá todo o trabalho de entrar em transe (atenção focada em si). A Hipnose Ericksoniana acredita que toda pessoa tem dentro de si recursos para resolver seus próprios problemas, que tem poder e muitas vezes não se vê com este poder. Esta técnica facilita a percepção e o fortalecimento do indivíduo através de suas próprias vivências.