“Me formei. E agora?” em Caxias do Sul recebe jovens profissionais

06

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região recepcionou os profissionais recém-formados e os formandos de Caxias do Sul e região no último sábado (23).

O evento tem como objetivo principal aproximar os profissionais e futuros profissionais do Conselho, levando informações relevantes para o início da trajetória profissional e sanando dúvidas que possam existir. A organização é da Comissão do Jovem Profissional, composta pela terapeuta ocupacional Ana Adorian e pelo fisioterapeuta Tarciso Santos, coordenada pela vice presidente, Lenise Hetzel, em parceria com a Comissão de Comunicação.

Para iniciar, a relações públicas do Crefito5, Fernanda Campos, apresentou o setor de comunicação, as ações realizadas, as campanhas, os eventos oferecidos e os meios que o Conselho utiliza para se comunicar com os profissionais. Falou ainda sobre o novo projeto desenvolvido pela assessoria de comunicação, a TV Crefito5.

O fisioterapeuta Rafael Plein, falou sobre o marketing profissional, a importância da imagem pessoal e cuidados com a comunicação em redes sociais. “A primeira impressão  é a imagem pessoal, as pessoas nos avaliam por isso”, afirmou. Rafael ressaltou ainda a importância de conhecer o Código de Ética profissional.

Na palestra que dá nome ao evento, “Me formei. E agora?”, ministrada pelos colaboradores do Crefito5, Larissa Nichele, Silvana Halmenschlager e Leomar Lavratti, foram esclarecidas dúvidas sobre legislação, prontuários, solicitação de exames complementares, responsabilidade técnica, publicidade, anuidades, entre outras. Além disso, foi feita uma apresentação do funcionamento e da atuação do Conselho no Rio Grande do Sul. Os profissionais tiveram a oportunidade de esclarecer as mais diversas dúvidas com os colaboradores.

No momento “Minha história na profissão”, foram convidadas as terapeutas ocupacionais Simone Prezzi e Liliana Teresinha Stahlschmidt e a fisioterapeuta Ingrid Corso Cavião, para darem seus depoimentos sobre a trajetória profissional.

A fisioterapeuta Ingrid falou sobre a importância de abraçar as oportunidades quando elas aparecem e ressaltou que os profissionais devem ser mais unidos para que a profissão seja valorizada pela sociedade. “Meu objetivo é cuidar das pessoas, dar melhor qualidade de vida a elas. Sinto-me grata por poder ajudá-las”, encerrou.

A terapeuta ocupacional Simone falou sobre a luta pela valorização profissional e disse que sempre defendeu a profissão em todos os lugares em que trabalhou. “O caminho não é fácil, mas vale muito a pena!”, completou.