Supersimples – saiba mais sobre os benefícios ou desvantagens da adesão ao modelo de tributação

simplesnacional

Até o dia 31 de janeiro de 2015 os fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais poderão aderir à nova tributação do Simples Nacional, afinal, em agosto deste ano, as profissões foram contempladas nos anexos III e VI da Lei Complementar nº 147.

No entanto, apesar de desburocratizar alguns trâmites e apresentar taxas aparentemente atrativas, as reduções de custos estão aliadas a uma série de fatores, fazendo com que, antes de se optar pelo Simples, seja imprescindível uma consultoria com um contador.

Para esclarecer o tema aos profissionais, o COFFITO conversou com a contadora e representante do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Lucélia Lecheta, que alertou sobre os benefícios e os prejuízos que o Supersimples pode trazer.

Veja aqui os exemplos.

Agradecimento 

No dia 10 de dezembro, em Brasília, o Coffito, representado pelo seu diretor-tesoureiro, Dr. Wilen Heil e Silva, pelo diretor-secretário, Dr. Cássio Fernando Oliveira da Silva, e pela integrante da Comissão de Comunicação, Dra. Fernanda Guimarães Torres, formalizou os agradecimentos ao Ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.

Os representantes agradeceram pela inserção da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional no Simples Nacional, o que poderá gerar novos empregos, investimentos em infraestrutura, equipamentos e qualificação profissional.

O ministro salientou também que novas ações devem ser  realizadas, buscando, dessa maneira, ofertar mais benefícios aos empresários.

* Com informações do Coffito.